terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Do que realmente importa

Sabe quando aquela pessoa está tentando te convencer a fazer alguma coisa e um dos argumentos é o famoso "Imagina, eu não me importo!" e aí você termina se vendo numa situação que considera desconfortável, na qual você sente que não deveria estar, em primeiro lugar?


Isso só acontece porque ficou faltando você dizer:



"Você pode não se importar, mas eu me importo."



Houve uma ocasião na minha vida em que muito espontaneamente eu me vi dizendo essas palavras, apenas para confirmar o quanto elas eram verdadeiras, o quanto era importante validar o que eu estava sentindo e quanto isso foi transformador.



E vale para muitas situações. Eu detesto esse "Eu não me importo!" para tentar transformar o que já havia sido um não de nossa parte num sim.



Exemplos: aquela amiga confiada entra com você, que é ultra-tímida, no provador de roupas da loja e diz "Ah, imagina. Pode trocar na minha frente. Eu não me importo!" Ou aquela outra que tenta te arrastar pra um evento chique depois do cinema que vocês pegaram juntas, e aí quando você diz que não quer ir porque não está vestida para a ocasião e ela diz "Imagina, ninguém lá vai se importar...".


De onde vem essa noção de que é mais importante o modo como as outras pessoas vão se sentir em relação a você do que o modo como você se sente em relação a você?

2 comentários:

  1. Realmente. Isso para mim é coisa de gente "sem noção"! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Não é, amiga?? E o pior é que o mundo está cheio dessa raça... Kkkkkk

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!