segunda-feira, 23 de abril de 2012

À francesa

Um dos últimos livros que me deliciei lendo foi o chamado Bringing up bébé - one American mother discovers the wisdom of French parenting (273pgs: The Penguin Press), que traduzindo seria algo como "Educando um bébé - uma mãe americana descobre a sabedoria do modo francês de criar filhos". Achei maravilhoso! Além de ser escrito de uma forma leve e interessante, o livro traz inúmeras ideias novas para a criação de filhos. Mesclando muita pesquisa com a saga pessoal da autora - uma jornalista americana que se casa com um jornalista inglês e juntos vão morar em Paris, onde ela tem seus três filhos - o livro pode ser lido tanto como um guia sobre o modo francês de educar quanto como um romance. De qualquer forma, o leitor aprende muito.

Eu poderia falar muito mais sobre esse livro, mas acho que quem se interessar pelo tema deve beber logo direto da fonte. De qualquer forma (e também porque eu não resisto) (e porque a reportagem que fizeram sobre esse livro publicada na Cláudia de março não focou no ponto central da tese da autora) vou dizer aqui o que eu acho que resume toda a sabedoria do livro: o fato de que os bebês e crianças são muito mais capazes do que os pais americanos (e brasileiros!) costumam acreditar. Capazes de quê? De entender, de aceitar, de lidar com frustrações, de se controlar, de se comportar, de obedecer, de aprender etc etc. É partindo dessa tese que a autora chega à conclusão de que para ser um pai ou mãe melhor, não basta ler mil livros sobre Pais & Filhos e aí decidir seguir tal ou tal linha. É preciso mudar a visão que o adulto tem do que é uma criança. Isso por si só já é um conceito bastante revolucionário, que vale a leitura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!