quarta-feira, 23 de maio de 2012

Sim, Ele existe.

 Você acredita em Deus? Eu acredito.

 Mas não foi sempre assim. Apesar de ter nascido numa família católica, ter estudado em colégios católicos, ter feito catequese, primeira comunhão, crisma, ter participado e trabalhado em movimentos de igreja como Vem e Segue-me, ter ido à incontáveis (e na época, tediosas) missas, e até de ter me casado na igreja, até pouco tempo meu relacionamento com Deus era mais de desconfiança que de confiança. E eu me achava muito esperta.

 Me achava esperta por questionar, por tentar encontrar resposta para perguntas que ninguém jamais encontrou ou encontrará (ao menos não enquanto estivermos na condição humana). Me achava esperta por ler todo tipo de coisas escritas sobre o assunto sem nunca me comprometer com nenhuma delas. Me achava esperta por conhecer o que pensou tal filósofo sobre o assunto, e saber citar tal e tal autor.

 Com essa, aprendi um tanto sobre diversas religiões e não-religiões. Me identifiquei com pedaços de uma aqui, partes de outra acolá, e pensei ter finalmente a verdade descoberto no Budismo por conta de sua filosofia máxima: desconfie de tudo e todos, inclusive do próprio Buda. Dessa, eles derivam o "nada de fanatismos". Pois é. Achei que eu tinha encontrado "a verdade suprema" no Budismo porque ele diz essas coisas. Na verdade, eu havia encontrado a verdade suprema... sobre minha própria maturidade espiritual. Desconfiar de tudo e todos. E não ser fanático. Era exatamente onde eu estava no caminho espiritual.

 Mas uma coisa sempre me incomodou no Budismo. O fato de que Buda disse que ele acessou a verdade suprema sobre o universo e sobre todas as coisas e seres que existem, e que partindo disso podia afirmar: Deus não existe.

Nossa. Ouvir isso na aula de Budismo (meu primeiro contato mais profundo com essa linha de pensamento) foi como um soco no estômago. Era isso? Então a partir de agora eu seria órfã mesmo? Deus não existe???

 Como se o choque não fosse suficiente, os budistas completam: logo, como Deus não existe, tudo o que acontece com a gente é por conta da lei do karma. Se nossa condição é ruim é porque fizemos por merecer e se queremos melhorar, é fazer por merecer. Em outras palavras: se vira, negão.

 Uau. Então além de órfã, agora eu também estava carregando nos ombros o peso do mundo - e de todas as outras encarnações, nas quais, vai saber o que eu andei aprontando.

 Era uma realidade dura e difícil. Mas o pior é que pra mim, ela fazia total sentido.

 Então assim fui seguindo a vida.

Agora uma pausa no post para esclarecer o seguinte: continuo gostando de muito do pensamento budista, principalmente do que eles dizem sobre não se entregar à fanatismos, e também sobre sermos responsáveis sim por nossa vida, etc. Mas...

Sim, existe um Deus. E Ele é tão, mas tão bom, que eu não precisei passar meses meditando na floresta para finalmente acessar alguma verdade divina para saber que Ele existe.

 Também não precisei negar o mundo, como pregam alguns. Nem renunciar à vida normal e mundana. Não precisei entrar numa dieta natural, nem em jejum, nem sair desse mundo no qual por algum motivo eu nasci e me encontro. Não precisei chegar na escala mais alta e mais divina da evolução espiritual para então ter um grande insight sobre a verdade divina e aí ver que Ele existe.

 Eu não precisei de  n a d a  disso.

 Do que eu precisei? De chamar por Ele. De pedir. De desejar bem fundo: Deus, cuida de mim. Olha pra mim. Me ajuda.

 E então eu vi - Ele é real.

 No post de amanhã vou contar alguns milagres incríveis que aconteceram na minha vida, por conta disso.

 Quem acompanha o blog sabe que eu adoro relativizar as coisas. Não me apegar a verdades absolutas e me enriquecer com diversos pontos de vista. Mas uma coisa eu vou dizer: ter fé é bom demais. E descobrir que Deus existe então...

 Continua amanhã.

Um comentário:

  1. “Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes.” I Coríntios 1:27

    “Confiai nele, ó povo, em todos os tempos; derramai perante ele o vosso coração. Deus é o nosso refúgio.” Salmos 62:8

    :)

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!