sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Da saudade e nostalgia

Se eu já andava com um pé na nostalgia e na saudade do Brasil, hoje então, 7 de setembro, vou colocar os dois. E que ninguém tente me desenrolar da minha bandeira verde e amarela ou senão, só de castigo, eu canto o hino nacional. Ah, meu Brasil brasileiro... Tão mulato e faceiro.

 (Estou hoje com uma tendência a citações. Sei que como já dizia a minha tia, "quem cita os outros não tem ideias próprias", mas vai fazer o quê? Cada dia o escritor acorda de um jeito.)

 Então, seguindo os pensamentos, eu ia continuar dizendo que acho linda a nostalgia pelo Brasil e mais lindo ainda os brasileiros que tem amor incondicional à patria, que não é perfeita mas é abençoada por Deus e bonita por natureza. Mas só aceito esse tipo de fala de quem já morou fora, ou saiu do país, ou deu umas viajadas ou pelo menos é muito bem informado sobre o resto do mundo. Lembra nas provas de matemática, que pra ganhar os pontos não bastava só escrever o resultado mas sim tinha que mostrar o desenvolvimento? Pois é. O tipo de conclusão o-Brasil-é-o-melhor-país eu só aceito se me mostrar o desenvolvimento. Ou senão vira coisa de brasileiro bitolado.

Mas para quem já saiu por aí e chegou a essa conclusão, que maravilha. Maravilha que é amar o país ao qual a gente pertence - coisa que não deve ser default. Fico pensando em quem nasceu no Oriente Médio, na Coreia do Norte, na India ou na China (a que não é mostrada ao mundo), se é possível amar lugares assim, com problemas demais e soluções de menos. Sei que no Brasil existem problemas (ah, como sei) mas o que existe lá é também uma infinidade de coisas maravilhosas. As paisagens, a diversidade, o estado de espírito e o jeito do brasileiro. As comidas, o aconchego, as praias, a solidariedade, o riso fácil. O gosto das coisas, o cheiro das coisas, o ritmo da vida. Tanta coisa boa. Tanta coisa.

Tem um primo do meu marido que citou alguém, que já esqueci quem (ha ha), que havia feito uma comparação perfeita entre a vida no exterior (se referindo a países de 1o mundo) e a vida no Brasil, que dizia algo como: "No exterior é bom, mas é uma droga; e no Brasil é uma droga... mas é bom!" Palavras exatas. Quem já morou fora deve saber do que estou falando.

Eu diria que o Brasil é o melhor país pra se viver? Sim. Com toda certeza? Pra terminar, vou citar meu amigo Tardelli que sempre diz: "posso não ter toda a certeza, mas estou absolutamente convicto."

 Um ótimo feriado a todos!

2 comentários:

  1. Meu marido é o primo! hahah...bjs Simone!

    ResponderExcluir
  2. Hi hi, É isso mesmo!! Beijão, M.! = )

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!