quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Alegria # felicidade

 Ao meu ver, alegria é o surtozinho eufórico. Aquela onda que vem e passa, quase como uma gargalhada mental. É gostosa, mas passageira. Seu oposto seria a tristeza, que seria o chorinho interno, que é desconfortável mas também logo passa. Já a felicidade é aquele estado de bem estar interior contínuo, independente até de o sujeito estar experimentando um momento alegre ou triste. É uma paz constante, um sentimento de que-delícia-viver, esteja a situação externa boa, média ou ruim. O oposto dela seria a depressão, que é o estado de vida-sem-gosto ou sem sentido, e que causaria no deprimido uma sensação de que viver é um fardo, já que o que ele sente é um constante estado de desconforto - estando ele alegre ou não.
 Sendo assim, se a tristeza é o outro lado da alegria, e a depressão, o inverso da felicidade, é perfeitamente possível o sujeito ser feliz mas experimentar um momento de tristeza, ou então estar deprimido ainda que tendo um momento alegre. A diferença é que a pessoa feliz, por se sentir bem o tempo todo, tende a ser também alegre na maioria do tempo, a não ser que algo cause tristeza. Já o deprimido, por se sentir mal por dentro, tende a ser triste a maior parte do tempo, a não ser que algo o distraia momentaneamente, causando uma alegria.
 Acho que muita gente confunde essas duas coisas (alegria e felicidade) e com isso, acaba indo atrás da coisa errada. Para piorar, em tempos de muita rapidez (e-mail, sms, twitter, fala-se do outro lado do mundo, aqui já se sabe, etc etc) acho que as pessoas se desacostumaram a esperar, e ficam numa eterna busca por gratificações instantâneas. Só que estas, no máximo trazem alegrias - mas nunca, felicidade. A felicidade é um estado interior, é um relacionamento da pessoa com ela mesma, é uma coisa de espírito, mente e corpo, e não tem nada a ver com gratificações instantâneas.
 Acho que não há problema - é até muito saudável - se as pessoas buscarem suas alegrias momentâneas, mas penso que antes elas deveriam cuidar de estarem felizes. Senão seria como gastar rios de dinheiro com maquiagens em vez de tratar um problema  que seria de acne.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Ué, preto não foi sempre preto? É o mundo fashion fazendo o que mais gosta: inventar moda.
 
 
revista Bazar fev 2013

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Aos meus recém-completados 30 anos

Já fui a mais santa, já fui a mais doida, já fui imperdível.
Já fui a mais feia, já fui a mais linda, já fui invisível.
Já fui esquisita, fui interessante, já fui tão incrível.
Já fui rejeitada, fui abandonada, já fui tão sensível.
Já fui a mais certa, já fui a mais sábia, já fui infalível.
Já fui a mais boba, já fui a mais crente, já fui impassível.
Eu já fui filmada, perseguida, encantada, descabida -
já levantei e baixei o nível.
Já fui o assunto da semana com a história mais insana
de algo quase impossível.
Já fui discreta, passei de liso,
com ares de grave, com ares de riso.
Já me senti fantástica, já me senti horrível.
Já fui a vítima e o algoz, já fui mansa e fui feroz.
Já fui culpada, absolvida, e perdoada.
Já fui o alvo e fui a flecha. Já fui o muro e fui a brecha.
Mirabolante? Inconsequente? Impaciente? Também sou gente.

E fui tantas coisas, e fui a tantos lugares, e respire tantos ares...

Hoje em dia minha melhor definição é meu nome
Hoje sou simplesmente a Simone
E há em mim
uma grande paz
enfim.


30 anos. Que pelo tanto de histórias mais parecem 60. Mas pela energia, estão mais para 18.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

E o pulso ainda pulsa

Estou me coçando para voltar a escrever aqui.
(Literalmente. Quando eu não estou escrevendo, minhas mãos coçam - mesmo. Chega ser engraçado.)
Mas é que não tem jeito. A escritora que vive em mim é mais forte do que a outra, a personalidade racional que diz que eu deveria focar mais em tal e tal coisa e deixar o blog. Mas a vontade de discutir mil temas (nem que seja só mesmo com o meu próprio computador) continua forte... Então me pergunto se alguém ainda visita o blog, se alguém gostaria de me ver de volta, ou se de repente simplesmente volto para um dia, se algum antigo leitor resolver por qualquer motivo voltar aqui, ter a surpresa de encontrar vários textos novos que naquela altura já seriam antigos...