segunda-feira, 15 de abril de 2013

 Sabe essa conversa de "ah, mas eu sou assim porque meu pai isso, minha mãe aquilo, na infância aconteceu tal coisa", blablabla..? Acho que só cola até certo ponto. Realmente, a gente pode achar uma explicação pra tudo, uma origem, um porquê. Mas só vale a pena buscar a origem se for para que isso seja algo esclarecedor, e um ponto de partida para colocar nossas emoções no lugar, descobrir nosso próprio valor, e melhorar nossa própria conduta. E não pra gente se fazer de vítima das circustâncias. Porque todo mundo tem motivos pra se queixar, mas também a capacidade de se curar e transformar o que foi ruim em motivação para fazer diferente, ser melhor, se amar mais etc. O credo do Samurai resume bem essa ideia, falando do ideário do lutador que salva o próprio destino:

 Não tenho pais;
 faço do céu e da terra meus pais.
 Não tenho poder divino;
 faço da honra a minha força.
 Não tenho recursos;
 faço da humildade o meu apoio.
 Não tenho o dom da magia;
 faço da minha força de vontade o meu poder mágico.
 Não tenho vida nem morte;
 faço do Eterno minha vida e minha morte.
 Não tenho corpo;
 faço da coragem meu corpo.
 Não tenho olhos;
 faço do brilho do raio os meus olhos.
 Não tenho orelhas;
 faço do bom senso minhas orelhas.
 Não tenho membros;
 faço da vivacidade os meus membros.

Um comentário:

  1. É muito mais fácil e muito cômodo colocar nos outros a culpa de tudo que não dá carto na nossa vida, os nossos fracassos. O díficil é encontrar alguém que reconheça as falhas que ouveram e que queira dar a volta por cima sem usar muletas.E quando isso acontece a pessoa se sente uma vencedora por seus próprios méritos do que vencer também usando a estrutura alheia. E por ai vai...

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!