quarta-feira, 31 de julho de 2013

Era uma vez uma escritora

.
.
 Era uma vez uma menina que queria escrever. Queria tanto que quando ela tinha 5 anos de idade e nem alfabetizada tinha sido ainda, pegou um papel na casa de uma amiga uma vez, e começou a "escrever" uma receita (e faltou morrer de vergonha quando foi "desmascarada" pelo irmão mais velho da amiga).
 
No ano seguinte, ela aprendeu a escrever e aí não parou mais. Adorava fazer redação na escola e sempre excedia o número de linhas. Escrevia diários, cartas, pensamentos, poesias, blogs(!)... Escrevia contos, crônicas, e até livros: um de cartolina que ela fez com 7 anos e a mãe guardou... Outro que ela grampeou as páginas e mandou pra avó – e a avó também guardou...
 
 Escrever para ela era vital, como respirar. Ela tinha que fazer sempre, todos os dias, para passar a vida a limpo, para fazer sentido do mundo, para elaborar o futuro, mas acima de tudo: para se sentir viva.
 
Essa menina foi crescendo... E toda santa vez que entrava numa livraria (o que era frequente) ela pensava: meu lugar é nas prateleiras. Eu ainda vou escrever um livro...
 
Só que no começo esse sonho era bem distante. (Aliás, como todo sonho. Até porque se não é distante, a gente chama de plano, projeto, enfim...) Mas ela tinha esse sonho. E dizia: eu tenho que escrever um livro nessa vida. Se não der tempo em vida, eu juro que eu volto para alguém psicografar um meu!
 
 Essa menina, é claro, sou eu.
 
Eu, que dizia no colégio: a gente está estudando o Arcadismo, Romantismo, Modernismo... Um dia  ainda vão estudar o Simonismo!!
 
 Só que como bem disse Henry Ford, “ninguém pode construir uma reputação com base no que ainda vai fazer”.
 
Pois bem. Eu estou contando essa história toda para contar a você, querido leitor do blog, que eu fui lá e fiz: eu escrevi um livro. Duas ótimas editoras se interessaram, e hoje(!) estou fechando com uma delas para vê-lo publicado ainda esse ano!!!
 
- pausa para eu ir ali soltar meus fogos de artifício!
 
 Quem me conhece bem tem uma ideia do quanto isso é especial para mim e do quanto estou feliz. Mas saber meeeeesmo como estou me sentindo... Só quem já realizou um grande sonho vai conseguir. Por isso, eu te convoco, leitor do Entre Sem Bater, a fazer isso por você também: vá atrás dos seus sonhos! Corra atrás! Com toda a sua energia e toda a sua intenção. Faça a sua parte, que o universo, com certeza, vai fazer a dele.
 
 Não pense que para começar a correr atrás do seu grande sonho antes você precisa ter mais dinheiro, ou mais tempo, ou um computador melhor, ou ser mais isso ou menos aquilo, porque nada disso é verdade. Isso são apenas desculpas que a gente dá a gente mesmo para não correr atrás de onde realmente nossa felicidade vai estar.
 
Como disse muito bem uma grande amiga minha ao escutar minha notícia, "é incrível colocar o destino nos trilhos".
 
Portanto, mais uma vez, você que tem um sonho que ainda não realizou, vá atrás... E é com você mesmo que estou falando. Este não é um conselho para a outra pessoa que também vai ler isso aqui. É mesmo para você.
 
Não espere outro dia... Comece hoje! E não espere eu dizer de novo... Comece agora! Porque a felicidade que se sente ao se realizar um grande sonho é inigualável.

5 comentários:

  1. Parabéns!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Marcelo

    ResponderExcluir
  2. Um samba diz assim: sonhar não custa nada, não se paga prá sonhar... Verdade!
    Mas sonhar é essencial para que possamos realizar alguma coisa. Pode demorar um tempo ou quase a vida, mas chega um dia que o universo se rende e colabora- é o nosso dia, a nossa hora! E a sua chegou, Si! Estou mais feliz do que você possa imaginar e quero lhe DAR O MEU ABRAÇO E DEIXA ROLAR O QUE ESTIVER PARA VIR. Eu lhe admiro muito e te amo um tantão.

    ResponderExcluir
  3. Mãe, eu tinha escrito um cartão pra você que ia colocar no correio no dia que bati o carro, e acabou que o cartão ficou aqui comigo... Então como o que eu ia responder aqui seria mais ou menos o que falei lá, deixo o cartão pra entregar pessoalmente e coloco aqui as palavras que também estão nele:

    Mãe,

    Você sonhou com duas filhas, mas não sabia com o que essas filhas iriam sonhar. Obrigada por sempre nos apoiar e fazer simplesmente TUDO o que está a seu alcance para que nossos sonhos continuem se tornando realidade! E obrigada também por todo o incentivo que sempre me deu, desde pequena, para que eu continuasse escrevendo. Desde escutar meus textos, minhas dissertações, meus contos e minhas poesias, por me ajudar a grampear outra folha na folha da redação (porque mais uma vez eu tinha escrito muito mais linhas do que devia)... Enfim: você teve um papel importantíssimo para que eu chegasee até aqui e finalmente me tornasse uma escritora. Te amo! Grande beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeição não existe e estou longe de me aproximar dela. Mas com certeza posso dizer analisando a minha alma que fiz realmente o que podia , via e conseguia . O que ficou faltando você continuou a acrescentar.Isso vale a pena sentir e perceber que nada foi em vão. Você se supera sempre e eu sou sua fã e adoro ser sua mãe.Beijão

      Excluir
  4. Super obrigada meu amor lindo, que me ajudou tanto nesse processo todo... Desde aquela vez, há muitos anos, quando disse "você devia transformar esses diários em livros" (sendo que eu NUNCA havia pensado nisso antes) até agora nos últimos dias, ficando do meu lado quando eu estava simplesmente uma pilha de nervos tentando decidir com qual editora fechar... Você é maravilhoso e cada dia eu te amo mais!

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!