quinta-feira, 25 de julho de 2013

O sorvete & as coberturas

 Já falei num post anterior sobre o que eu penso que seja felicidade, e como ela é diferente de alegria (assim como depressão é diferente de tristeza). Vou retomar o assunto, mas dessa vez falando sobre a confusão que muita gente faz para atingir o estado de felicidade, achando que conseguirão chegar lá indo atrás de alegrias. Mas para não ficar filosófico demais, vou usar como analogia algo que gosto muito: sorvete! ha ha
 
 Pois bem. Todo mundo quer ser feliz. Para conseguir a felicidade, tem gente que sai fazendo coisas, indo atrás disso e daquilo, viajando, comprando, experimentando etc. Só que fazendo essas coisas a pessoa consgue, no máximo, alegrias - que são passageiras (ver o post sobre alegria x felicidade). E aí, quando o efeito da alegria passa, sobra o quê? Um vazio. E a necessidade de ir em busca de outras alegrias. E assim muita gente deve fazer a vida toda, sem nunca ter experimentando de verdade o que é felicidade.
 
Ao meu ver, a coisa é assim: felicidade vem de dentro. Está na essência da pessoa. Vem dela compreender algumas coisas fundamentais sobre ela mesma e sobre todo o resto, vem de um modo de ver o mundo e de um jeito de amar a vida com tudo o que ela tem, mesmo que isso possa significar algumas tristezas em meio à busca pelas alegrias.
 
 A verdadeira felicidade está no interior. Por isso que eu vou me mudar pra  Poços de Caldas - brincadeira! (ha ha, não resisti) 
 
Mas falando sério: só se consegue a felicidade, cultivando-a dentro. No interior. 
 
E quanto às alegrias?
Bom, aqui é que entra o sorvete - risos.
Dá pra fazer uma analogia comparando a felicidade ao sorvete, e as alegrias, às coberturas. E todas as pessoas estão na fila da sorveteria self-service.
 
 A pessoa que tratou de encher primeiro seu copinho de sorvete, ao chegar na parte das coberturas pode escolher diversas coisas, e assim tornar o que já era bom ainda mais gostoso. Mas geralmente ela nem vai precisar colocar tanta coisa em cima - e tem gente que nem vai precisar de cobertura alguma.
 
Agora, se a pessoa passou batido pelo sorvete, o que vai acontecer? Primeiro que vai chegar na hora das coberturas, ela vai ter que colocar muito mais coisa pra encher o copinho - muito mais mesmo! E mesmo que ela encha aquele copinho de chocolate granulado, cereja, coco ralado e não sei mais o que, num primeiro olhar o sundae dela pode até estar maior e mais bonito que o dos outros... Só que esse sundae não vai matar a fome, não vai trazer saciedade, vai ter muito mais calorias (pontos negativos) e ainda vai deixar a pessoa com a garganta arranhando, se ela tentar comer tudo.
 
 Acho que a vida é assim. Se você cuida bem do interior, já é feliz e nem precisaria de mais nada. Mas a vida é uma grande festa e é claro que a gente quer experimentar as coberturas - mas elas só vão ser gostosas porque estão complementando uma coisa maior que já está lá. Agora, se a pessoa não tem a base dentro de si, não adianta ter todas as "coberturas" do mundo, as mais chiques, mais coloridas, mais caras, sei lá, que aquilo ali nunca vai dar um bom sundae.
 
 Agora se me dão licença, vou ali no freezer, porque todo esse papo de sorvete me abriu o apetite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!