quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Much more than this, I did it my way.

Hoje mostrou no Jornal Hoje uma região do sul da França onde ainda existem cidadezinhas medievais que surgiram por volta do ano de 1200(!), construídas em volta de grandes igrejas e castelos, às vezes até muradas.
Abri um sorriso quando percebi que eu conheço aquela região. Estive lá na minha época de mochileira.
Conheci várias daquelas cidadezinhas. Visitei um castelo medieval incrível, experimentei in loco o vinho de Bordeaux, a champagne de Périgueux, desci uma parte do rio Dordogne de caiaque e pedalei por Tremolat. Conheci um holandês e uma belga de oitenta e poucos anos - e recém-casados! - num bistrot daqueles com toalha xadrez e lareira, e depois por muita coiscidência, os reencontrei num jantar que nem lembro como fui parar, onde logo saquei que para aquele grupo eles haviam decidido fingir que eram apenas amigos - e a partir disso, a noite toda passou a ser uma sequência engraçadíssima de acontecimentos tanto pra mim quanto para eles, com a história toda sendo revelada no final e todos caindo na gargalhada... Me hospedei num hotel muito antigo (e suspeito, mal assombrado), dormi numa casa com as paredes muitíssimo grossas e toras de madeira nos tetos como as que mostraram também na reportagem, visitei uma fábrica minúscula de vidros que ficava embaixo de uma escadaria e tomei três sorvetes seguidos numa praça porque deu vontade.
Gosto de lembrar das minhas caminhadas da época de solteira. Hoje moro em outro país com meu marido e esta situação tem seu lado gostoso e seu lado difícil, mas independente de qualquer coisa, é uma experiência totalmente diferente da que se tem quando se está desbravando o mundo sozinha. Gosto demais de lembrar das minhas mil histórias de situações inusitadas que vivi enquanto mochilava, e também de saber que a primeira vez que pisei na Europa foi por mérito próprio, meu e de mais ninguém. Tive apoio financeiro dos meus pais, é claro, mas consegui ir para lá porque me candidatei a uma bolsa de estudos concorridíssima e fui selecionada. E lá, mamãe e papai cobriam meus gastos pessoais, mas quem resolvia a vida e se virava para descobrir absolutamente tudo era eu. Por isso sei que hoje sou uma pessoa mais completa e confiante porque me construí também por algum tempo sozinha.
 
O castelo medieval que visitei no sul da França.
 

Um comentário:

  1. Muito orgulho dessa minha amiga mochileira e viajante (em vários sentidos, rsrsrsrsrs). Mas eh serio. Ninguém tem as historias que você já viveu. Muito bom ser sua amiga até hoje. Beijos.

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!