terça-feira, 19 de novembro de 2013

Precisaríamos de muito; mas na verdade, de quase nada.

[Spoiler alert: este não é um post contra o consumismo. É na verdade, um post pró-consumo. Isto é, consumo inteligente.]
 
Estava ali folheando uma revista cheia de mulheres lindas, perfeitas e chiquérrimas e a uma certa altura me perguntei: do que uma pessoa precisaria para ficar exatamente igual a uma mulher dessas? Conclusão I: de muita, muita coisa. Aliás, coisas, pessoas, efeitos... Sairia caríssimo. Seria preciso ter a maquiagem cara e o maquiador famoso, o cabelereiro estrela, a roupa de grife, os acessórios e joias, o corpo perfeito, o cenário paradisíaco... Sem falar na luz ideal, na pose perfeita, na experiência do fotógrafo (que irá bater milhões de fotos para escolher uma) e claro, nas infinitas ajudas do photoshop. É coisa que não acaba mais. Então, okay. Para se ficar igual a mulher da foto seria preciso mesmo ter todas as coisas que foram usadas ali. Mas será que no mundo real as pessoas precisam mesmo ter todas aquelas coisas? O que de fato está por trás da mágica? Será que o mais interessante é ficar idêntica à mulher da foto ou simplesmente passar o mesmo efeito? 
Exato.
Conclusão II: os mil artifícios talvez sejam necessários para ficar linda daquele jeito na foto. Já na vida real...
 O caso é que a mulher da foto não está em movimento, não está dizendo nada engraçado ou interessante, não tem sentimentos nem opiniões muito menos uma energia ótima. Não tem alto astral, não está perfumada, não tem jeitos nem trejeitos, um sotaque charmoso ou uma voz sexy. A mulher da foto não chegou fazendo gracinha nem vai dizer nada inteligente ou intrigante. Em suma, a mulher da foto não tem vida. Mas as grifes precisam enganar o consumidor e fingir que ela tem muita vida sim - e veja que vida perfeita! Então, pintam ali um ideal inatingível, para que as pessoas continuem comprando os relógios e bolsas e óculos e coisas, na eterna busca de uma proximidade àquele ideal. Quando a verdade é que passar o mesmo efeito dessas fotos glamurosas na vida real sai baratíssimo. Precisa-se sim de algumas coisas, mas elas não precisam ser as mais caras, e muito menos as daquela grife. Você até vai precisar sim de alguma maquiagem, um corpo em dia (que nem de longe precisa ser perfeito), algumas roupas legais e uns acessórios pra completar. Mas acima de tudo, para se conseguir o tal "tchan" na vida real, uma pessoa precisa mesmo de atitude. De alto astral, inteligência, charme, manha, delicadeza, elegância, senso de humor, simpatia, espontaneidade e por aí vai. Na vida real, para se conseguir um grande efeito digno de editorial de revista, a gente precisa de diversas coisas - e ainda bem que a maioria delas não custa dinheiro algum.

2 comentários:

  1. O mundo é justo qundo nos prova que o que mais precisamos o recurso financeiro não resolve. Pode até ajudar , mas não é tudo. As qualidades, os valores vêm com cada um e não se compra em loja nenhuma.Cada um que saiba cuidar dos que seus bens preciosos.

    ResponderExcluir
  2. É isso aí!!! As coisas mais importantes não estão à venda...

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!