segunda-feira, 29 de dezembro de 2014


 Um brinde ao ano que passou e trouxe tantas coisas maravilhosas! Que 2015 seja melhor ainda!!!

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014




E então é Natal...

 Que este ano seu Natal seja realmente especial pelas melhores razões. Seja numa festa grande ou numa celebração pequena, que você se encontre ao lado de pessoas que realmente ama e com quem seja muito gostoso estar. Que nesta noite as pessoas deixem de lado seus olhares críticos, suas mágoas, suas inseguranças e seus escudos, e que realmente estejam presentes de corpo, alma, e coração aberto. Que seja uma noite de fato feliz, na qual se percebe a grandiosidade de se poder celebrar mais um Natal ao lado de quem se ama. Que a comida esteja boa, que as piadas sejam engraçadas, que as conversas sejam interessantes e intermináveis e que as risadas sejam contagiosas. E que você perceba que seus melhores presentes são mesmo as presenças: tanto sua neste planeta, quanto das pessoas que te cercam em sua vida. Que não há nada melhor nem mais precioso do que celebrar o nascimento e a vida Daquele que veio nos trazer uma mensagem e a possibilidade de uma vida nova e muito melhor. Que você tenha, de coração, um FELIZ NATAL!


domingo, 21 de dezembro de 2014

Preferir. Incluir essa palavra no discurso sempre que possível faz toda a diferença.

 "Mas ele não podia ter feito isso!!" vira "Eu preferia que ele não tivesse feito isso." 

 "Como é que isso foi acontecer? É um absurdo!!" vira "Eu preferia que não tivesse acontecido."

"As coisas tem que ser de tal jeito" vira "Eu prefiro que seja de tal jeito". E por aí vai...
.



O que muda? Tudo. A começar pela percepção de que todos esses deve/ não deve/ pode/ não pode/ é o cúmulo/ é um absurdo/ é tão óbvio etc etc não passam de preferências nossas. E preferências são pessoais. São escolhas nossas, das quais o mundo não foi informado e nem será caso não verbalizemos. Não são regras nem verdades absolutas - apenas desejos individuais, que algumas vezes serão atendidos e outras não - e é assim que a vida é.

 Deve soar óbvio pra muita gente, mas por muito tempo essa ficha não me caiu.

 E quando eu finalmente me toquei disso, foi fantástico! Porque aí deixei de ficar tão indignada com tudo, ou de esperar isso ou aquilo dos outros, de me decepcionar e de me frustrar tanto... A gente continua preferindo que as coisas sejam assim ou assado, claro, mas quando elas não saem como a gente gostaria, não vem aquele sentimento negativo. Isso porque, com a consciência de que a maior parte das coisas são simplesmente desejos nossos, a gente deixa de se sentir no "direito" a ficar indignado ou sentir raiva, e deixa de se sentir injustiçado, ou vítima e por aí vai. A gente compreende que simplesmente algumas vezes as coisas saem como a gente gostaria e outras não. Algumas pessoas dizem o que a gente gosta de ouvir e outras não. E que a gente pode escolher conviver mais com umas e menos com outras. Mas o fato delas serem ou fazerem as coisas de certa forma não as torna "erradas" mas simplesmente diferentes das nossas preferências. 

E aí, a energia que seria disperdiçada bufando de raiva e se indignando com a vida pode ser direcionada à solucionar o problema ou tentar ajustar as situações para o que a gente gostaria mais - sem dramas, numa nice.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

It's Christmas time in the city.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Os cheiros - Danuza Leão

  Existem coisas que nunca esquecemos, os cheiros é uma delas. Inúmeras vezes nos deparamos com um cheiro e ele nos remete a lembranças remotas ou não. No início de 2010 li “Os Cheiros” escrito por Danuza Leão, tirei a página da revista e sempre voltava a lê-lo. Me sentir,sinto, dentro de todos os cheiros, é como voltar, reviver ou viver. Existem textos, citações, poesias, pensamentos... que nos envolve, toca, passamos a ser parte deles ou ele é parte nós?!

     Existem cheiros inesquecíveis. Cada pessoa tem seus prediletos. E basta uma mínima lembrança para que tudo volte: a temperatura do momento, a felicidade ou a tristeza que se sentia, as imagens de quem estava perto, tudo. Tudo. Cheiros podem ser alegres ou tristes. Era muito bom quando se entrava em casa depois do colégio, logo antes do almoço, e se sentia o cheiro do refogado – alho, cebola e tomate – para fazer o picadinho ou o bife de panela enrolado no bacon e preso por um palitinho. Quantos segundos você leva para atravessar o tempo e voltar aos seus 11 anos?
     Lembra quando há muitos, muitos anos, você ia passar as férias na fazenda? Ah, uma fazenda tem aromas absolutamente inesquecíveis: o do capim, o da terra depois da chuva, o do estábulo onde se ia de manhã bem cedo tomar o leite tirado da vaca, ainda morno, numa canequinha de alumínio. E o cheiro da tangerina? Aliás, tangerina não, mexerica; aquela pobrinha, modesta, de casca fina, que deixava a mão cheirando durante três dias.

      Esse é um cheiro muito alegre. O cheiro do bolo saindo do forno é para sempre – bolo de tabuleiro, cortado em losangos, com cobertura de açúcar com limão, e um detalhe precioso: naquele tempo, por mais que se comesse não se engordava, e em cima da mesa havia sempre um vidro de fortificante para abrir o apetite. Que felicidade ter tido uma infância no interior! Mas existem outros aromas não ligados ao paladar e também inesquecíveis. O cheiro do mar quando se chega em Salvador – uma licença poética, com licença. E você já teve uma tia-avó que morava numa casa bem arrumada, cujo assoalho era encerado toda semana? O brilho era dado a mão, com uma escova de cabo alto como uma vassoura, e era chegar e ouvir: “Cuidado para não escorregar”. Que cheiro limpo, honesto, que cheiro de gente direita. Será que isso ainda existe?

     Mas há também os cheiros angustiantes: os de hospital, de sala de cirurgia. Muito cheiro de flor você sabe o que lembra – melhor não falar disso. E existem os perfumes ricos: de carro novo, de um bom fumo de cachimbo. E vamos combinar: cheiro de alho é bom na cozinha, de sexo no quarto, e é proibido misturar. Por falar nisso, o cheiro do homem que se ama, depois do amor, é melhor nem lembrar para não desmaiar de saudade.

     As cidades também têm seu cheiro, cada uma muito particular: se você for levada, de olhos vendados, para o Bloomingdale’s, sabe na hora que está em Nova York. E se respirar um aroma de cominho misturado a curry e a canela vai saber que está no souk de Marrakesh.

     Mas existe um cheiro que só as mulheres conhecem. É o que elas sentem quando estão enxugando seus bebês depois do banho. É preciso que não haja uma só pessoa por perto num raio de 200 metros para não haver interferência de qualquer ordem. Sem nenhuma presença estranha – nem mesmo a do pai –, mãe e filho poderão dizer bobagens e rir de coisas que só eles vão entender. Depois do talco, a mãe vai botar o nariz no pescoço de sua cria e cheirar com todos os seus cinco sentidos. No princípio timidamente, mas cada vez mais forte, até quase arrebentar os pulmões de tanto amor. Na hora a gente não sabe, mas um dia vai saber: não existe nada igual a esse cheiro nem a esse momento, e nunca vai haver um melhor. Porque esse é o cheiro da vida.


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Cântico VI
Tu tens um medo:
Acabar.
Não vês que acaba todo o dia.
Que morres no amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que te renovas todo o dia.
No amor.
Na tristeza.
Na dúvida.
No desejo.
Que és sempre outro.
Que és sempre o mesmo.
Que morrerás por idades imensas.
Até não teres medo de morrer.

E então serás eterno.
Cecília Meireles - em "Antologia Poética"


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014


 E aqui estávamos, no nosso 1o dia de namoro - era meu aniversário de 20 anos, casa dos meus pais e num quarto que ainda tinha bichinhos de pelúcia.

 Esse dia aí era o primeiro dia oficialmente como namorados (depois dele ter feito o pedido com todas as letras) mas já estávamos saindo há uns dois meses.

 Mas a história toda mesmo já tinha começado há algum tempo. Afinal, eu o conheci quando tinha 16 anos...

 Enfim... Tivemos vários começos... E recomeços... E eles dariam livros e filmes, mas não são o mais importante da história, já que o que importa mesmo não são quantos começos essa história teve, mas sim que ela nunca terá fim!

 Feliz Aniversário de Casamento, meu amor!!! 5 anos!!!

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

minha Julia recém-nascida


As palavras dela faço minhas, uma por uma:

"Freedom is just another word for nothing left to lose, diz a canção cantada por Janis. Durante tanto tempo eu ouvia essa música e sentia o vento da liberdade soprar no meu rosto: todas as possibilidades, nenhuma amarra, ninguém que dependesse de mim. E agora, depois de alguns meses tentando traduzir o meu deslumbramento com a maternidade, devo dizer que, paradoxalmente, nunca entendi tanto o que significa isso. No meio da alegria, do amor, do encantamento, existe um medo de perder tão, mas tão grande, que fica difícil descrever. Medo, sim, medo imenso de adoecer, de morrer, de (não vou nem mencionar). E aí vocês vão me dizer, ora, não dá para pensar assim, afinal, devemos pensar nas coisas boas e blá, blá, blá. Mas o medo, depois que o pavor passa, depois do olho escancarado, dilatado no breu, do pesadelo palpável sentado sobre o peito, do coração sacudir todo o corpo dormente e paralisado, do estômago cheio de pedras, dos pés de concreto armado, o medo nos pega pela mão e nos leva para uma dimensão clara e precisa do sentir, quase objetiva, quase pragmática – a uma distância racional da esperança e da fé - e nos mostra o quanto temos, tudo que temos. Mostra todos os ínfimos detalhes do sorriso que se repete, mas que todo dia inaugura uma alegria nova, um pedaço da vida que vem inteiro, perfeito, irretocável. Mostra o privilégio de participar das descobertas mais simples e mais bonitas, um toque, uma gargalhada, uma cor, um sabor, uma palavra, um som. Mostra o amor impossível de descrever ou explicar, impensável, incrível, e que cresce, cresce, cresce sem limites. Mostra o pertencimento que buscamos tanto, quisemos tanto, aconchegado no colo, de olhos brilhantes. Mostra a vida transformada em outra vida, repleta, única, feliz."
 Ticcia, do blog Mme.Mean

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Amor.



Quase lá...


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

oh happy days


terça-feira, 11 de novembro de 2014

Nem 8 nem 80

O caminho do meio, o equilíbrio, o Tao te Ching. Pra mim, essa é uma das lições espirituais mais importantes. É um ensinamento simples de entender, mas que requer nossa constante atenção para aplicar.
Do que se trata? O Tao explica mais ou menos assim:
Seria bom que uma pessoa ficasse comendo o tempo todo? Claro que não. Mas e se ela não comesse nada nunca? Também não seria bom. Quanto ao clima de um lugar, será que 50C seria bom pra quem gosta de calor? E -30C pra quem gosta de frio? Você entendeu.
Agora imagine um pêndulo imaginário que oscila de um extremo ao outro. A posição dos extremos não é sustentável. Para o pêdulo ficar lá no alto, é preciso um gasto de energia grande. E o que acontece quando ele chega num extremo? Logo ele vai parar no outro.
Qual é a única posição sustentável, onde o pêndulo poderia ficar pra sempre sem gasto de energia algum? No meio.
 E é esse o ensinamento. O Tao explica que se você tente a ser de extremos, vai sempre dissipar muito da sua energia - energia esta que poderia estar sendo aplicada em coisas mais produtivas, coisas melhores pra sua vida. E que quanto mais tempo você passar num extremo, mais tempo acabará passando no outro - e nem uma das duas posições é boa, já que está te roubando muita energia, e te deixando eternamente agitado e drenado.
 O melhor caminho? O do meio, sempre.
 Por isso que eu nunca vou abdicar do meu chocolate. Seria uma atitude extrema demais. Ha ha.

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

A melhor receita de chandelle!

Gente, sabe aquele meu probleminha recorrente da eterna falta de Danete e Chandelle aqui nos Estados Unidos? Pois bem: está resolvido! Finalmente consegui desenvolver uma receita baseada nas que os sites dão mas com algumas mudanças, pra conseguir um creme de chocolate mais próximo dos que eu tanto amo. Segue a preciosa receita:
Chandelle caseiro (com ingredientes aqui dos EUA)
Ingredientes:
1 lata de leite condensado (usei Nestlé)
A mesma medida de heavy cream
1/2 litro de leite 2%
2 colheres (rasas) de maisena
4 colheres de chocolate em pó (usei da Maison du chocolat)
5 colheres (café) de açúcar
Preparo:
Separe um tantinho do leite e esquente no microondas. Dissolva a maisena nesse leite. Numa panela, leve ao fogo o leite condensado, o restante do leite e o chocolate em pó. Misture bem até o chocolate se dissolver por completo (com um fuê facilita). Aí espere ferver, e acrescente o leite com a maisena dissolvida. Mexa até engrossar (que é quase de imediato). Aí leve essa mistura ao liquidificador e acrescente o heavy cream e o açúcar, e bata até misturar bem. Leve à geladeira por algumas horas. Sucesso total!!!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Nunca desperdice um sofrimento.

As pessoas dizem que o sofrimento nos faz crescer - mas não necessariamente. Se você simplesmente ficar lá sofrendo, isso não vai te fazer crescer um milímetro. O que vai te fazer crescer é a vontade de aprender com aquele sofrimento, de tirar dele todas as lições que puder. Aí sim. 

E já que os sofrimentos acabam vindo mesmo, melhor não desperdiça-los.



terça-feira, 4 de novembro de 2014

Agora, a beleza da gravidez é que durante os 9 meses você, além de se preparar para ser mãe, pode aproveitar e se preparar logo pra ficar velho. Ah, sim. Porque enquanto você arruma o quarto fofo e faz o enxoval, você já vai vendo o que é ter incontinência urinária, refluxo, esclerose, dor nas costas, falta de ar, perda do equilíbrio, raciocínio lento...

Mas não tô reclamando. Afinal, é bunito, e é bunito!!!


segunda-feira, 3 de novembro de 2014


sábado, 1 de novembro de 2014

 O que é capaz de bagunçar seu computador pior que um vírus?

 Um antivirus. De-tes-to.


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Como não seduzir uma mulher

 E se eu tivesse que falar sobre o lado feminino da questão, eu diria:



 Como não seduzir uma mulher?
 Não seduz o homem que posa de machão; que é insensível; indisponível; distante. Não seduz o homem que é infiel, intransigente ou violento. Não seduz uma mulher um homem que é irresponsável, infantil, mulherengo, que tem fobia a compromisso e que ainda enxerga o casamento como uma armadilha. Não seduz o homem que vê a mulher como um ser indefeso e inferior a ele, que atribui qualquer pensamento dela à influências de alguém e qualquer irritação ou mau humor femininos à TPM. Não seduz o homem que acha que a mulher deve serví-lo, mimá-lo, paparicá-lo o tempo todo e que ele não precisa retribuir. Não seduz o homem que espera que a mulher seja a verdadeira mulher-maravilha, que deve dar conta de tudo, de trabalhar fora, e dentro, ganhar dinheiro e ainda cozinhar, lavar, passar, limpar, cuidar do cachorro, do filho, de levar as roupas na lavanderia e costureira e passar o mercado, e deixar a casa impecável e ainda estar maravilhosa, linda, malhada, depilada e cheia de energia para passar a noite o seduzindo; Não seduz o homem que não percebe que trabalhar de 8 às 6 não é desculpa para se isentar de fazer também as coisas da casa - afinal, seja num escritório ou em casa, a mulher também trabalhou de 8 às 6, e mesmo assim continua a jornada sem reclamar. Não seduz o homem que acha que carinho e atenção só eram necessários no início do relacionamento, quando ainda não a tinha levado para a cama. Não seduz o homem que trata a mulher de qualquer jeito durante o dia e aí acha que uns beijinhos à noite já são suficientes para deixá-la "no clima". Não seduz o homem que se recusa a conversar sobre o relacionamento, que é incapaz de perceber os sentimentos da mulher e os próprios, que se fecha em si mesmo e deixa a mulher a quilômetros de distância. Não seduz o homem egocêntrico cujo único assunto são suas brilhantes realizações ou pior ainda, seus músculos bem esculpidos. Acima de tudo, não seduz o homem que não percebe o quanto aquela mulher que está ao lado dele é especial e a trata como se tudo o que ela fizesse por ele, pela família e pela casa não fosse mais do que sua obrigação.

 Como seduzir uma mulher? Sendo maduro, centrado, responsável, bem sucedido, dono da própria vida mas também relaxado e bem humorado. Sendo bom papo e de cama, e conseguindo entender que para uma mulher essas duas coisas tem exatamente a mesma importância.Tendo uma vida interessante com a qual ele esteja contente e abrindo espaço para que a mulher faça parte dela. Abrindo o coração, falando de sentimentos, admitindo que também erra, voltando atrás se necessário. Entendendo que nos serviços de casa ele não deve "ajudar" mas fazer a parte que lhe cabe. E principalmente, enxergando quem é aquela mulher que está a seu lado, interessando-se por realmente conhecê-la, e continuar descobrindo quem ela é e o que pensa, e assim nunca deixando valorizá-la.

 E é claro, bilhetes de amor, flores e chocolates sempre caem muito bem também. Risos.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Como não seduzir um homem



 Do livro que eu estava lendo "Homem não chora, mulher não ri", da Mirian Goldenberg, um depoimento interessante e bem verdadeiro de um advogado de 53 anos, divorciado e pai de 3 filhos:

"Como uma mulher não me seduz?
 Não me seduz a mulher que usa roupa curta, justa e decotada; gosta de batom e esmalte vermelho; tem peito de silicone; gosta de fingir que é recatada; tem botox e preenchimento nos lábios; nunca toma a iniciativa na cama; adora cor-de-rosa; é obcecada por dietas e tratamentos de beleza; abusa de perfume; tem vergonha de ficar nua; usa bolsas enormes e passa horas prcurando a carteira no supermercado; fala alto; tem cabelo longo, tingido de loiro e alisado; conversa no cinema; não consegue ficar sozinha; usa a TPM como desculpa; só anda de salto alto; adora mostrar o corpo malhado; tem jeito e voz de menininha; demanda atenção e elogios o tempo todo; precisa exibir o seu currículo profissional, sexual e amoroso; tem medo da opinião dos outros; faz fofocas; está sempre insatisfeita; é cheia de regras; não transa no primeiro encontro; pensa que é perfeita; fala mal dos ex-namorados; trata mal graçons e empregados; tem inveja das outras muheres; tem vergonha das gorduras, estrias e celulites; não presta atenção no que os outros falam; só fala de si mesma; fica respondendo os e-mails durante o jantar; fotografa tudo; come qualquer porcaria; diz que não come nada e não sabe como engorda; bebe muito; trata os bichos como se fossem filhos; faz joguinhos; não tem senso de humor; finge orgasmos; quer agradar a todo mundo; usa lingerie de oncinha; reclama que falta homem no mercado; acredita que os homens fogem de mulheres independentes; só lê best-seller; é vítima da moda; fala mal das feministas; xinga as mulheres de periguetes, diz que todos os homens são galinhas; é consumista; acha que todos os homens são iguais.

 Como uma mulher me seduz?
 Sendo autêntica; diferente; especial; única; divertida; segura; curiosa; apaixonada; sorridente; inteligente; interessada; interessante; atenciosa; delicada; imperfeita, carinhosa; verdadeira; independente; madura; espontânea; simples; natural.

 Como uma mulher me seduz?
 É muito simples: não se esforçando para me seduzir. Simplesmente sendo ela mesma."

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Rapidinhas

 Então o horário de verão começa e te dizem pra acertar o seu relógio. E você se pergunta: com o quê?

--------------------------------------------------------------------------------------------------

 E no Encontro com Fátima Bernardes estava lá o ator Daniel Rocha, que está fazendo o João Lucas de Império, dizendo que para entrar em forma para o papel fez uma dieta paleolítica. Como seria isso? Não comer nada o dia inteiro e à noite sair pra caçar um leão?


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

 Do livro "A alma livre" de Michael A. Singer, sobre a morte: (tradução minha)
 
"Realmente é um grande paradoxo cósmico que nossa melhor professora nesta vida seja a morte. Nenhuma pessoa ou situação poderia te ensinar tanto quanto a morte te ensina.
 Enquanto alguém pode te dizer que você não é seu corpo, a morte te mostra. Enquanto alguém poderia te lembrar da insignificância de todas as coisas às quais você se apega, a morte as tira de você em um segundo. Enquanto alguém poderia te ensinar que os homems e mulheres de todas as raças são iguais e que não há diferença entre ricos e pobres, a morte os torna totalmente iguais num instante.
 A pergunta é: você vai esperar seu último momento vivo para aprender com a morte? "

 Fan-tás-ti-co.



domingo, 19 de outubro de 2014

Um dia frio, um bom lugar pra ler um livro...

 

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

A alma livre

Eu tô lendo um livro fantástico!

"The untethered soul", de Michael A Singer, foi traduzido no Brasil com o título de "A alma livre". E o que tenho a dizer é: LEIAM!!!!!
 
 Gente, eu não sei nem por onde começar a explicar o tanto que esse livro é incrível. Talvez pelos efeitos que está tendo em mim?
 
Bom, o que posso dizer é que desde que comecei a ler - e aplicar o que ele ensina lá - que eu ando pra lá de em paz e minha vida parece que cada dia fica mais deliciosa. Além dos insights, das compreensões, e de tanta, tanta coisa boa!!
 
Tentando ultra resumir o que já li até então (que é uns 65%... Não sei dizer em que página estou, já que estou lendo no Kobo), o livro fala mais ou menos o seguinte:
 
- No momento em que você se propõe a liberar os bloqueios energéticos que vem guardando no coração durante toda a sua vida (causados por traumas, experiências tristes ou ruins que não foram processadas etc etc), sua vida se transforma completamente numa coisa maravilhosa e deliciosa.
 
 Só que pra falar isso, ele vai te explicando o porquê das coisas enquanto propõe uma jornada interior que você vai fazendo enquanto devora os capítulos, que são escritos numa linguagem simples e bem direta. E nisso ele fala de mais mil coisas... Sobre os mecanismos que as pessoas usam e por que não funcionam... As motivações da maioria das pessoas pra fazer as coisas e por que assim que se alcança um objetivo a pessoa já tem que traçar o próximo porque aquele alcançado não a satisfez... Por que pra muita gente a vida parece ser uma sequência de problemas a serem resolvidos em vez de ser algo a ser aproveitado e saboreado... Nossa, tanta coisa...!!
 
 Algumas coisas que ele falou e que pra mim fizeram total sentido:
 
- O seu "eu" verdadeiro (a sua essência) não é aquele que "fala" o tempo todo dentro da sua cabeça, mas sim aquele que escuta; [gente.... perceber isso... realmente perceber é fan-tás-ti-co.]
 
- Quanto mais sensível (ou difícil... ou reativa... ou má...) uma pessoa é, mais bloqueios emocionais ela tem;
 
- Se algo te incomodou profundamente, é porque tocou num desses bloqueios que você vinha guardando aí sabe-se lá desde quando;
 
- Que a maioria das pessoas passa a vida tentando evitar as coisas que vão tocar nesses bloqueios, em vez de simplesmente liberarem os traumas e dores emocionais;
 
- Que tentar resolver uma coisa do nosso interior com coisas externas não vai funcionar nunca;
 
- Que as pessoas passam a vida prisioneiras das suas próprias sensibilidades;
 
- Que existe um jeito bem simples de você se libertar de tudo isso;
 
- Que uma pessoa só é verdadeiramente livre quando ela deixa de temer a dor;
 
 
 
 Todas essas coisas fazem muito sentido pra mim, porque experimentei todas. E desde que li o que ele sugere no livro, entrei numa fase intensa de liberação de bloqueios emocionais. É o tempo todo alguma coisa vindo à tona, e quando elas vem pode ser um tantinho dolorido. Mas o incrível é que quanto mais disposto você está a liberar as coisas, mais rápido essas dores passam. E aí mais leve o coração fica. E de repente, mais felizes vão ficando seus dias... Mais bonita a paisagem... Mais engraçadas as piadas... Mais divertidos os programas... Melhor o clima... Mais confortável qualquer coisa que aconteça... Juro!!!
 
 E nisso você passa a ter também alguns vários insights... E as coisas parecem começar a dar mais certo do que nunca... Os sinais estão sempre verdes, você sempre tem uma vaga na porta...!!
 
 Eu quis a vida inteira poder viver nesse estado o tempo todo mas pelo jeito estava tentando fazer isso acontecer de formas superficiais. Dessa vez está sendo pra valer.
 
 Leiam o livro. Juro. Não tem preço se sentir tão bem assim.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Viciada.

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

 
 
Essa é pra quem fala inglês.
 
Fui marcar minha depilação. Queria porque queria fazer com uma moça chamada Joy, porque ela é uma das que fazia melhor lá onde sempre vou. Mas aí ligo lá e descubro que ela foi promovida a gerente e que então não depila mais. E que no horário que eu gosto de ir, só tinha uma outra moça lá agora que faria, a Hope. Mas pra falar isso, a conversa foi a seguinte:
 
- So, you're saying I can't get waxed with Joy anymore?
- Yeah, not with Joy. Only with Hope.
 
Ha ha ha...

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Enquanto isso, nos states...

 Terça à noite, curso de amamentação.
Fui munida de caneta, caderno e mil perguntas, e saí de lá com livrinho pra estudar, panfletos explicativos, links de filmes e outros mil deveres de casa. Só pra provar o quanto os bebês são mais inteligentes que nós. Eu tendo que estudar esse tanto - uma coisa que eles já nascem sabendo.
 
----------------------------------------------------------------------
 
 Lá pelas tantas no curso, sono já batendo, anotando metade das coisas no caderno em inglês e metade em português, me ocorre perguntar se quando eu estiver amamentando terei as mesmas restrições da gravidez ou se vou poder, por exemplo, pintar o cabelo, usar cremes de beleza ou produtos com algum tipo de ácido etc. Só que aí a grávida de cérebro lento aqui começa a pergunta:
 
- So... I was wondering, if I'll be able to start using again...
 
Aí paro pra pensar. Nisso o povo já começa a me olhar a maior cara de espanto. Então continuo:
 
- Things like acid, for example.
 
O que eu queria perguntar: queria saber quando vou poder começar a usar produtos que contenham ácido etc.
 
 O que soou pra eles: queria saber quando vou poder fazer uso de ácido de novo. Falou a mãe drogada.
 
kkkkkkkkkkkkkkkk
 
----------------------------------------------------------------------
 
Aí eu chego na outra loja e falo pra mulher:
 
- Estou procurando travesseiro anti-refluxo e absorvente pra muito fluxo.
 
 Por um momento ela acha que estou brincando.
 
----------------------------------------------------------------------
 
Aí compramos um segundo carro novamente, 3 anos e meio depois de termos vendido o que era meu no Brasil. Pra quem queria um Ka quando aprendeu a dirigir porque tinha medo de carro grande, esse agora tem 7 lugares. Mas estou feliz da vida com ele, dirigindo pra cima e pra baixo. E quantas vezes já tive dificuldade para manobrá-lo? Zero Só aqui mesmo, com essas pistas largas e vagas absurdamente grandes pra gente sair com aquela nave espacial e conseguir estacionar em todo lugar de primeira. God bless America!!!

----------------------------------------------------------------------

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Rufem os tambores...

 E é com muito orgulho que apresento a capa do meu 2o livro!!!! Este será publicado ao mesmo tempo no Brasil e em Portugal!! No Brasil, estará disponível em breve em qualquer Saraiva, Fnac ou Livraria Cultura! Yesssssss!!!
 
 
 
 
A sinopse:
O que acontece quando uma mulher que chegou solteira aos 30 resolve que pre-ci-sa se casar? No caso dessa protagonista, muita confusão e situações hilárias. Quando Maitê percebe que todas as suas amigas estão se casando mas que ela continua presa a um relacionamento sem futuro com o sedutor Leo, decide que devorar livros de autoajuda sobre relacionamentos será o caminho mais rápido para o altar. Só que na pressa de se ver casada, ela acaba comprando títulos demais, misturando o que os livros estão dizendo e assim trocando os pés pelas mãos. Ela só não imagina que enquanto planeja suas armações, o destino já havia planejado algo bem melhor para ela...

domingo, 28 de setembro de 2014

Dica quente!

 E já está no ar a nova sensação para a mulher moderna, descolada e antenada:
.
.
.
Mulheres em Alpha, por Cristine Lemos - o blog da mulher completa.
 
O blog Mulheres em Alpha é para a mulher segura, feminina, bem sucedida e moderna! Você também é assim? Então vai amar esse blog! Fala sobre moda e beleza, comportamento e lifestyle. Conta com uma coluna onde teremos um delicioso papo de mãe, além, é claro, de super dicas para as mulheres de Alphaville, SP. O blog é feito para as mulheres alfa, para as mulheres em alpha e para as mulheres de Alpha(ville). Mulheres em Alpha é o blog da mulher inteligente e completa, que se divide em vários papéis, não mais pela pressão de ser uma super mulher, mas por escolher ter uma vida plena e diversificada. A mulher alfa não equilibra pratos em sua vida – ela os saboreia, como em um menu degustação...
Facebook: Mulheres em Alpha
Instagram: mulheresemalpha.com.br
Twitter: @Mulheresemalpha
E-mail: mulheresemalpha@gmail.com


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

 
 
"A realidade não se importa se você acredita nela ou não. Mas paga um preço maior os que escolhem não acreditar." Daryl Bell-Greenstreet

sábado, 20 de setembro de 2014

 "Amor,
 o mundo muda de cor de repente. "

 

sexta-feira, 19 de setembro de 2014




"Eu não sofro de insanidade. Aproveito cada minuto dela." Anônimo

terça-feira, 16 de setembro de 2014

 E no meio dos outros que estou lendo, arrumei tempo pra ler mais este aqui:



 O resumo? Textos para internet: quanto menores, melhores.

domingo, 14 de setembro de 2014

.
E então ele faz aquilo que você adora, mas adora milhões de vezes mais quando é ele quem faz. E você percebe que o sol vai nascendo mas o tempo está frio, que a cachorrinha ainda dorme, que lá fora está calmo e silencioso e principalmente, que transformar o amor apaixonado em relacionamento não é para os fracos. Mas se para chegar de novo e de novo ao paraíso eu tiver que passar por uns infernos, I'll take it. I'll take it anyday. Porque nada substitui o coração pleno e a felicidade pura correndo nas veias num domingo de manhã no qual você se percebe novamente apaixonada.
.
 
 

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

 Acabo de voltar da primeira aula de preparação para o parto - em estado de choque.

 E até então eu achava aula de matemática uma coisa que dava medo. Sabe de nada, inocente.


sábado, 6 de setembro de 2014


terça-feira, 2 de setembro de 2014

E quando for buscar seu filho ou filha na escola, em vez de perguntar "o que você fez hoje?", que tal "o que você aprendeu hoje?" A mesma reflexão vale para nós, ao repassar mentalmente qualquer tempo ou situação.
.
.
 
 

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Nem por cima, nem por baixo.

 O problema de se sentir superior a qualquer pessoa em qualquer momento é que no momento seguinte você fatalmente irá se sentir inferior a outra pessoa.
 
Se a lógica da superioridade estivesse certa, se uma pessoa pudesse mesmo ser superior a alguém, então ela também seria inferior a muitas outras.
 
E isso simplesmente não existe.
 
Eu vejo cada pessoa no seu barco, seguindo seu caminho, escrevendo sua história. Superior, inferior... Tudo bobagem. Entendo que existem os mais e os menos evoluídos - mas isso tem a ver com o espírito e com o coração, somente.