quinta-feira, 29 de maio de 2014

Bom é o aprendizado.

Ontem deu no jornal Marcos Valério sendo transferido da Papuda para não sei qual outra prisão.  Gosto da notícia, gosto de saber que vários daqueles corruptos foram presos, mas não é o tipo de notícia que me deixa exatamente feliz. Há quem delire ao ver o mal se dando muito mal. Há uma lógica nisso, um sentimento de justiça sendo feita. Mas não vejo por aí. Na verdade não há nada de maravilhoso num ser humano precisar ir para atrás das grades. Não há nada de incrível em ver pessoas se dando mal. Não consegui nem olhar para as imagens do ditador Muammar Kadafi estendido morto no chão e fiquei bem chocada com quando enforcaram Sadam Hussein. Porque mesmo "o mal" sendo muito mal, o mal que fazem com a pessoa em retorno continua sendo isso também - algo ruim. Que deve criar karma também para quem praticou, por mais nobres que forem as intenções.
 Não que eu torça pelo mal ou ache que deva passar impune, de jeito nenhum. Mas acho uma pena muito grande que certas pessoas consigam criar destinos tão horríveis para si mesmas, ou que precisem passar por coisas tão terríveis para aprenderem suas lições. Não acho que o mal tenha que se dar mal. Acho que o mal tem que se transformar em bem. Porque não há nada de maravilhoso em ver alguém numa situação degradante, ponto
. A única coisa boa que pode surgir de cadeiras, prisões, execuções etc talvez sejam as lições que a pessoa provavelmente vai aprender (sim, mesmo depois de morta- isso já seria toda uma outra conversa) e também o que talvez aquele exemplo esteja ensinando ao restante da população.
 No estágio que a humanidade está, punições e castigos parecem ser mesmo ainda necessários. Mas não é nada que se deva vibrar de ver. Ver esses pobres coitados vivendo os infernos que criaram para si mesmos só é algo que me faz pensar: que pena os seres humanos ainda cometerem atrocidades tais de modo que ainda se precise dos castigos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!