terça-feira, 11 de novembro de 2014

Nem 8 nem 80

O caminho do meio, o equilíbrio, o Tao te Ching. Pra mim, essa é uma das lições espirituais mais importantes. É um ensinamento simples de entender, mas que requer nossa constante atenção para aplicar.
Do que se trata? O Tao explica mais ou menos assim:
Seria bom que uma pessoa ficasse comendo o tempo todo? Claro que não. Mas e se ela não comesse nada nunca? Também não seria bom. Quanto ao clima de um lugar, será que 50C seria bom pra quem gosta de calor? E -30C pra quem gosta de frio? Você entendeu.
Agora imagine um pêndulo imaginário que oscila de um extremo ao outro. A posição dos extremos não é sustentável. Para o pêdulo ficar lá no alto, é preciso um gasto de energia grande. E o que acontece quando ele chega num extremo? Logo ele vai parar no outro.
Qual é a única posição sustentável, onde o pêndulo poderia ficar pra sempre sem gasto de energia algum? No meio.
 E é esse o ensinamento. O Tao explica que se você tente a ser de extremos, vai sempre dissipar muito da sua energia - energia esta que poderia estar sendo aplicada em coisas mais produtivas, coisas melhores pra sua vida. E que quanto mais tempo você passar num extremo, mais tempo acabará passando no outro - e nem uma das duas posições é boa, já que está te roubando muita energia, e te deixando eternamente agitado e drenado.
 O melhor caminho? O do meio, sempre.
 Por isso que eu nunca vou abdicar do meu chocolate. Seria uma atitude extrema demais. Ha ha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!