terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Ainda bem que meu medo era outro.

Pensar em ser mãe antes de ser é uma coisa que dá um grande frio na barriga. Depois que você de fato se torna mãe, a maravilha é que você já não tem mais o menor tempo pra criar medos, então se eles não desaparecem por completo, ao menos eles saem do primeiro plano.

Tem gente que quando pensa em ter filhos fica com medo do trabalho que a coisa toda vai dar. Vixi. Se o seu medo for esse, aconselho logo que você comece a recrutar seu time de ajudantes (enfermeiras, babás, avós etc etc) ainda durante a gravidez!! Porque uma coisa é certa: dá trabalho!! E muito!! Mas como tudo nessa vida, no momento que você identificar o problema, pode começar a resolvê-lo. E esse medo é fácil de resolver.

 Mas como eu disse ali em cima, o meu medo era outro. Meu medo era mais das "coisas terríveis" que poderiam acontecer, e na dor que eu sentiria se cada uma que me passou pela cabeça acontecesse. 

E graças a Deus, eu percebi que ter medo disso é uma viagem muito maior do que ter medo do trabalho que vai dar. Temer o trabalho que vai dar é até um pensamento bem realista. (preguiçoso, ha ha, mas realista). Enquanto que temer os cenários X ou Y é viagem pura, porque nada está nas nossas mãos. E se a gente for parar pra pensar, isso é assim sempre, em todos os cenários, todos os dias desde que a gente nasceu. Então ficar com medo do que poderá fugir ao nosso controle é ter medo da própria vida.

Um dia me veio a conclusão: nada está nas minhas mãos. Nada está sob meu controle. A única coisa que posso controlar é a mim mesma, e a como vou reagir ao que vai acontecer. E se eu respirar, estiver presente e disponível para as situações que forem se apresentando, vai estar tudo bem.

Pronto. Acabou o medo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!