sábado, 28 de fevereiro de 2015

Filhos x cachorros

.
 Esse é o tipo de comparação que quem só tem cachorro adora fazer, e quem só tem filho detesta escutar. Agora eu tenho os dois e, mesmo que uma há menos tempo que a outra, já posso falar: sim, existe um paralelo. Mas são experiências diferentes. Fazendo uma analogia com viagens, cachorro é um fim de semana que você vai passar numa pousada em Piri; filho é uma viagem internacional pra ficar 1 mês num hotel 5 estrelas. Para as duas coisas você vai ter que se preparar pra sair de casa, fazer mala, viajar... Vai chegar num lugar diferente, onde encontrará coisas boas e ruins etc. Ms tudo numa proporção diferente, com um nível de envolvimento, planejamento e preocupação diferentes. A principal diferença? Os gastos. 

 ha ha, brincadeira.

 Bom, os gastos também. Mas acima de tudo, o envolvimento emocional, seu e de todo mundo que te cerca. E a experiência em si.

 Pra começar, o cachorro você não gerou 9 meses, então por mais que estivesse flertando com a ideia de comprar, você não está já muito envolvida com ele quando ele chega. Pro cachorro chegar, você não tem que passar por uma das experiências mais dolorosas e ao mesmo tempo incríveis da sua vida (a não ser que você tenha feito como eu e comprado o seu no Queens). Quando o cachorro chega, seus hormônios não ficam doidos, seu cabelo não começa cair e seu peito não dobra de tamanho e começa a pingar leite. Mas sua rotina também muda, você vai ter que se adaptar, ver um jeito de incluí-lo na sua rotina, descobrir a personalidade dele, etc etc.

Quando o cachorro chega, ele passa a fazer parte da sua família - mas da que mora com você em casa e só. Você não vai ver todo mundo se envolvendo, enchendo a criaturinha de amor mas também de expectativas e projeções. Ninguém vai ficar falando que o cachorro puxou para aquele lado da famíla, que o focinho é igual o deles, ha ha. Ninguém vai te dar palpite sobre como criar - nem gente da sua família nem estranhos na rua. Dificilmente alguém vai torcer o nariz se você disser que está comprando ração em vez de dar comida fresca por exemplo. Bom, alguns até torcem, mas isso são coisas da America.

Você também vai ter que fazer um enxoval pro cachorro, mas ele não consiste de 908.357 itens. As coisas do cachorro também vão tomar um espaço na sua casa, mas só um espaço - não sua casa toda. Você também vai ter responsabilidades diárias e "eternas" com o cachorro, mas elas não vão tomar seu dia - ou sua vida inteira. E principalmente, você também vai se preocupar com o cachorro, acompanhar cada refeição, levar ao veterinário e sair aliviado quando ouvir que só precisa voltar dali um tempão, e claro, vai amar muito e ser amado de volta -  mas é tudo numa proporção muito mais branda, mais light, menos selvagem, e assustadora. Mas também menos visceral, incrível, surreal e recompensadora.

Qual experiência é melhor? Depende. Como eles perguntavam nos passeios de bug no nordeste, você vai querer a sua com emoção?

Agora, uma coisa eu te digo: se você realmente gostar de viver perigosamente e quiser a sua com muita emoção, experimente ter os dois ao mesmo tempo. Ah, now we're talking.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião ou simplesmente um "alô"!