domingo, 14 de junho de 2015

Tem gente que leva a vida como se ela fosse um problema a ser resolvido. 

Tem gente que leva a vida como se ela fosse um caminho a ser percorrido.

 Tem gente que leva a vida como se ela fosse uma fatalidade que não pode ser evitada.

 Tem gente que leva a vida como se ela fosse um milagre a ser reverenciado.

 Tem gente que leva a vida como se fosse uma aventura a ser experimentada.

 No fim, cada pessoa irá sentir a vida da forma desejar enxergar. Sorte de quem está feliz com a forma que está enxergando sua existência. A mesma vida pode parecer incrível ou terrível, e tudo depende dos olhos de quem vê.

(Devo dar um tempo no blog ou talvez começar outro. Veremos. Se você está lendo isto fez parte do seleto grupo para quem ainda enviei o endereço que seria o novo. Mas decidi que estava na hora de renovar muito mais que só o endereço do blog. Vamos ver o que a aventura nos reserva...!)




segunda-feira, 8 de junho de 2015

A felicidade, pra mim, é assim.

sábado, 6 de junho de 2015

Sim, mas o que eu aprendi com isso tudo?

 Várias coisas. Mas a maior foi: cada um tem que trilhar seu caminho, e não adianta um querer ajudar o outro no sentido de "salvá-lo" de qualquer coisa, porque a verdade é que pra salvar alguém, só Deus mesmo. ("Só Jesus salva" - os clichês tem sempre um porquê.)

 Acho que é isso. Estamos todos no mesmo barco, e devemos nos ajudar acho que no sentido de dar talvez um suporte, um apoio, uma palavra amiga e muito, muitíssimo de leve alguma sugestão caso nos seja pedido, mas olhe lá!! Porque querer mostar o caminho pra alguém deve ser o modo mais rápido de criar confusão e acabar com um relacionamento. Até porque, a gente também está perdido. O caminho que estamos encontrando (se estivermos bem e em paz) é o que estará servindo para a gente, e ninguém garante nem que é o certo e nem que vai servir para o outro.

 De hoje em diante, lavo as minhas mãos...
Ufa.

 Como um simples postezinho pode dar uma confusão tão grande??

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Do mesmo jeito que quando a gente se apaixona e ama de verdade passa a entender o sentido das coisas mais melosas, dos filmes mais açucarados e dos poemas mais "oh minha amada, minha amada", kkkkkkkk, acho que quando a gente passa a ter uma experiência mais profunda em Deus passa a entender tantas coisas que até então eram só clichês, frases feitas, coisas que a gente repetia na missa ou "papo de crente". 



A missa, aliás, tem um significado profundíssimo. Tanto o ritual em si quanto o que é falado. Esse trecho, por exemplo, eu amo:

"- O Senhor esteja convosco.
- Ele está no meio de nós. (Gente... Ele está - ele ESTÁ - no meio de nós. Não é incrível?!)
- Corações ao alto.
- O nosso coração está em Deus. (Olha essa! Aqui está o resumo de toda a conversa sobre misericórdia. O nosso coração está dentro da gente, mas também EM Deus. Ou seja, Deus sente tudo que a gente sente e nos conhece como ninguém. - Em tempo, a etimologia da palavra misericórdia explica bem o que é isso. Podemos entender como a junção de miseratio + cordis do latim, que significa coração misericordioso, mas também como "mesmo coração". Fantástico.)
- Demos graças ao nosso senhor Jesus Cristo.
- É nosso dever e nossa salvação. (Olha essa!!! É nosso dever, ou seja, a gente precisa mesmo fazer isso. Porque só assim teremos nossa salvação. E que salvação seria essa? No dia de nossa morte? Também. Mas acho que essa salvação que Jesus nos traz é também muito para a vida que estamos vivendo. Para que levemos a vida de uma forma MUITO melhor! Com mais leveza, mais alegria, mais paz, mais tudo de bom! E como a vida fica maravilhosa quando a gente percebe nossas bênçãos e passa a ser grato, profundamente grato! Não seria isso também uma enorme "salvação"?)
(agora a parte que eu mais gosto disparado)
- Na verdade é justo e necessário darmos graças sempre e em todo lugar.
(Não sei nem explicar essa sem ser redundante e soar totalmente idiota, risos, mas vamos a uma tentativa: Na verdade, ou seja, é assim que é, é uma verdade incontestável que; É justo: ou seja, é justo darmos graças, querendo dizer que o que nos acontece é exatamente o que merecemos, que a vida nos chega exatamente como deveria. E necessário: e a gente pre-ci-sa disso. Não é Deus que precisa da nossa gratidão. É a gente que precisa ser grato. Darmos graças sempre e em todo lugar. Ou seja, não importa a situação, não importa onde estejamos, passando pelo que for, temos que lembrar que Deus tem um plano pra nós que está se desenrolando. E por isso devemos ser realmente muito gratos.

Fala sério. Acho a missa fantástica!! = )

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Far from the madding crowd

Fui ao cinema assistir ao ma-ra-vi-lho-so Far from the madding crowd, e estou suspirando até agora. História linda que te prende já na primeira cena, paisagens maravilhosas, atuações impecáveis. É tipo um "Orgulho e Preconceito" só que melhor ainda. Tudo de bom!!! Claro que mal saí do cinema e já comprei o livro, pra saber de mais detalhes das histórias amorosas da impetuosa Bathsheba. Ai, ai...